Curso de Flauta

A flauta é um dos instrumentos mais antigos que se conhece, tendo sido sempre muito utilizada tanto pela sua facilidade de construção, quanto pelo som melodioso, de timbre doce e suave que produz. A Flauta sempre permeou o pensamento do homem, sendo associada a seres mitológicos, aos espíritos da natureza, anjos, e até deuses... é bem perceptível a natureza mística que acompanha a flauta, desde o seu surgimento, quando o ser humano a construia da tíbia ou de tubos de bambu, para fins festivos e/ou ritualísticos.

O instrumento era feito originalmente de madeira, passando-se posteriormente a fabricá-lo em prata ou outro metal, que confere uma maior intensidade do som, melhor afinação, mais facilidade de uso das chaves. Ainda há orquestras na Alemanha que utilizam flautas de madeira, justificando-se pela beleza timbrística inigualável.

A flauta sempre foi um instrumento muito privilegiado no que diz respeito a recursos e ornamentos. Grande parte dos recursos musicalmente conhecidos são executáveis na Flauta. A extensão normal da flauta é de três oitavas, do Dó3 (Dó central no piano) ao Dó6. Estudos acústicos levaram os flautistas a conseguir obter um maior alcance no instrumento, podendo chegar até o Sol6 e, dependendo do flautista, até ao Dó7.

O objetivo último das aulas de flauta transversal visa a vivência do sentido estético da música e o envolvimento ativo do aluno no processo de aprendizagem das diferentes tipologias musicais abordadas. Assim, a par do desenvolvimento das competências básicas e específicas, consideradas como os ingredientes elementares para a aquisição de um domínio do instrumentro ao nível do controle da flauta, de uma técnica boa (postura, respiração e embocadura correctas) e de um bom som, pretende-se desenvolver um trabalho de formação musical e instrumental em simultâneo, de modo que o instrumento seja um meio de expressão daquilo que se pensa musicalmente.





Voltar para a página anterior

Flauta