Luan Cavalleri

Professor de Teclado, Acordeão e Flauta

Natural de Bento Gonçalves (RS), Luan Cavalleri é músico, professor de piano e acordeon, formado em Música pela UNIVALI. Sua iniciação musical foi no teclado aos oito anos com o professor Evandro Ricardo Souza e incentivo do pai Clódis José Cavalleri. Logo nas séries iniciais da escola básica, Luan Cavalleri mostrava grande talento, assim participou com nove anos na primeira apresentação de artes da E. E. E. M. Pedro Migliorini, em Monte Belo do Sul (RS). Iniciou seus trabalhos profissionalmente aos 11 anos e já se apresentou em diversas cidades gaúchas, como Porto Alegre, São Leopoldo, Canoas, Nova Prata, Erechim, Canela, entre outras.

Anos depois aprofundou-se nos estudos do teclado e teoria da música com o professor Olides Longhi. Aos 17 anos busca fazer aulas de um novo instrumento, o acordeon, com o Prof. Ezequiel de Toni. Mais tarde estudou prática de repertório JAZZ na CEEMP (Centro de Ensino de Estudos Musicais Maestro Pernambuco), nos moldes do conservatório de Tatuí (SP), com o músico graduado Maestro Tiago Daiello. De 2011 até 2013 trabalhou como professor de teclado e piano na Escola de Música Musical Center, em Bento Gonçalves (RS), e na Harmonia Ensino de Música, em Veranópolis (RS).

Nessa época, participou do Festival da Música, de Canela (RS), com a banda Viccia – única convidada da Serra Gaúcha –, podendo compartilhar conhecimentos com músicos nacionais renomados, como João Bosco, Sandra de Sá, Pepeu Gomes e outros. Além da Viccia, integrou as bandas Ego Mecanóide, Super Produção e Canzone Per Te, que o fizeram adquirir experiência em vários estilos musicais, ampliando seu repertório. Ajudou a produzir arranjos para algumas canções da banda Viccia, como "Simples Assim" e "O personagem".

Em 2013, mudou-se para Itajaí (SC) para estudar Licenciatura em Música na Univali. Durante a faculdade participou do Festival Cultural da Univali, acompanhando a cantora Morganna Tramontinni, no qual ganhou o prêmio de 1º lugar na categoria Composição. Em 2016, participa da gravação e produção do CD solo da cantora com o título “Foi na beira do Mar”. Trabalha também como músico acompanhante do projeto “Siri na Lata nas Escola” do compositor Carlos Cória, no qual levam música e cultura local para dentro das escolas do município. Em Itajaí, o músico amplia seu repertório e aperfeiçoa sua técnica e conhecimentos teóricos, especialmente na música instrumental. Em 2016, se torna diretor e sócio-proprietário da Escola de Música Arte Sonora em Itajaí (SC), onde dá aulas de piano e acordeon. Também é professor na Simili Ensino Musical, em Balneario Camboriú (SC) e na Escola de Música Harmonia, em Camboriú (SC).

Em 2017, descobre na música erudita uma nova paixão e passa a se dedicar aos estudos do piano clássico. Desde então, vem desenvolvendo um trabalho de solista no piano e acordeon, participa de duos e grupos de música de câmara e música instrumental brasileira. Somente neste ano já participou de um concerto em homenagem a Ludwig Van Beethoven, apresentando uma das suas obras mais conhecidas, a Sonata No.14, Op.27 No. 2 (Sonata ao Luar), e de um tributo a Schubert. Realizou ainda três concertos solo de piano, no Museu Histórico de Itajaí e na Escola de Música Arte Sonora, com repertório de compositores clássicos, românticos e barrocos, como Schubert, Schumann, Bach, Heller, Beethoven, Mozart e outros. Em 2017 passa a atuar também como afinador de pianos em Itajaí e região, devido a carência de profissionais desse segmento no mercado. O aprendizado na área foi desenvolvido através da troca de experiências com outros afinadores e de pesquisas na internet.

Entrevista



1. Qual seu primeiro contato com a música?
R: Foi com oito anos, vendo meu pai ter aulas de violão.

2. Em qual momento da sua vida você decidiu ser musicista?
R: Com 11 anos de idade, eu já estava tocando em bandas de bailes. E aos 21 anos decidi viver da música.

3. Como a família reagiu ao saber que você seguiria carreira musical?
R: Reagiram, recebi apoio. Só me disseram que eu tinha que ser bom.

4. Qual foi o primeiro instrumento que você aprendeu a tocar? E quantos você hoje em dia toca?
R: Meu pai já me incentivava desde criança, o restante da família não entendeu muito bem.

5. Qual é sua especialidade musical?
R: Primeiro foi o teclado. Hoje em dia toco vários instrumentos, entre eles, acordeon, flauta doce e piano.

6. Quais seus compositores favoritos?
R: Estou me especializando em interpretação de obras da musica erudita. Mas também toco jazz, bossa nova e outros gêneros da musica popular.

7. Quais seus planos para o futuro?
R: Poder tocar em diversos países, estudar fora do Brasil e ser um pianista renomado.

8. Você compõe música?
R: Componho. Gosto de fazer arranjos e pretendo compor mais peças para piano e acordeon.br>
9. Você usa de alguma inspiração que não esta relacionada a musica para compor?
R: Sim. Gosto de me inspirar em situações que vivi e sentimentos que estou sentindo no momento.

10. Alguma mensagem para os músicos que estão começando agora?
R: Não perca tempo, comece a estudar às 08h da manhã e termine às 20h da noite, rs. Seja lá o que você for fazer, faça com respeito, dedicação e excelência.


Voltar para a página anterior

Profº Luan Cavalleri